19 de maio de 2012

Prazer



Os olhos cruzam-se, vacilam por apenas uma fracção de segundos, mas acabam por se impelir para a frente, dominados pelo súbito desejo carnal.
Os braços cruzam-se, os lábios colidem, as línguas dançam, os corações disparam, as mãos procuram-se e assim os corpos se unem.
O ofegante rapaz prende-a contra o seu peito, desvia a face da boca dela para, de seguida, a enterrar no meio dos seus salientes seios. Beija-os de imediato ao mesmo tempo que despe o tosco top e os pequenos calções de ganga da rapariga que solta ofegantes gritos sussurrados enquanto remexe no cabelo dele com as duas mãos.
Do nada a rapariga solta um grito como se farta dos beijos do rapaz. Puxa-o pelo cabelo, empurra-o contra a fria parede branca, arranca-lhe a t-shirt preta do seu corpo e começa a beijar os seus salientes músculos, descendo cada vez mais pelo tronco do rapaz que se vai contorcendo em excitação… Finalmente quando a rapariga lhe tira os boxers ferozmente o narrador decide-se retirar e deixá-los entregarem-se ao prazer carnal.

13 comentários:

  1. Tu ainda não tens 18 anos, que é isto ? :b

    ResponderEliminar
  2. Adoro a intensidade que consegues dar às palavras. E este final está mesmo perfeito :p

    ResponderEliminar
  3. Isto começa a ficar adulto rapaz xD Li mal, de Allen a Alien vai pouco, se calha estava com pouca atenção, sei lá xD Talvez gostasse, novas experiências é sempre bom xD

    ResponderEliminar
  4. São somente crises de adolescência, vai se lá perceber.

    ResponderEliminar
  5. Tá bem, está, fico cá para rir xD És uma desgraça xD Eu também fui ver o Battleship, não sou ninguém para falar, mas sim, o teu crime foi pior xD

    ResponderEliminar
  6. Essa última frase dá um maravilhoso final ao teu texto!

    ResponderEliminar
  7. Gostei imenso (:
    Amei o fim xD "o narrador decide-se retirar e deixá-los entregarem-se ao prazer carnal", simplesmente perfeito.

    ResponderEliminar