30 de setembro de 2010

SORRISOS ENFERRUJADOS!



Eu bem vos disse que tinha uma grande surpresa! Não foi na segunda mas é hoje! O Sorrisos Enferrujados decidiu fazer um "mini debate" entre os dois blogs associados a esta rubrica. Falamos da monarquia vs república, espero que gostem e que partilhem ideias connosco e, já agora, que entrei na discussão! Para vocês o que acham mais apropriado? Monarquia ou República?




Monarquia, sim ou não?



Pois, porque não? Assim, desde já, digo que defendo o regime monárquico que tanto tem sido atacado. Todos, sem piedade e sensatez, o atacam. Uns porque defendem (com todo o seu direito) antagónicos ideais, mas outros apenas porque sim, o que me irrita solenemente! Pois atrevo-me a dizer que mais de metade dos “republicanos” portugueses defendem a república apenas porque sim, pois a lei da comodidade fala cada vez mais alto nos dias de hoje.
Todos reclamam, todos se revoltam, todos protestam. Mas são raros os que argumentam como deve de ser!
A furiosa matilha de cães sedentos atira para o ar variados argumentos: não se pode votar, é uma grande injustiça, o rei pode ser burro, o sistema não funciona. Depois de ouvir os queixosos reclamarem por toda a infortunada injustiça que tanto praguejam eu lá respondo: O sistema não funciona? Relembro-vos então (pobres endrominadas vitimas) que a monarquia funciona. E funciona bem! Devo referir que a monarquia transmite ao seu povo um sentimento de segurança e nacionalismo excepcional, criando assim um regime estável, seguro e livre. Fora de crises políticas. Vejamos com vários exemplos: Noruega, Suécia, Dinamarca, Reino Unido, Japão. O que todos eles têm em comum? Saudáveis monarquias constitucionais parlamentaristas. Assim o argumento do não funciona é deveras estúpido para alguém que saiba o mínimo de actualidade! Pois se não funcionasse porquê que 8 dos 10 países com melhores condições de vida são monarquias? (Segundo dados da Newsweek de Agosto).
Espantados com a minha resposta os assanhados protectores da república relembram que o rei pode não ter vocação para governar. A isso respondo através de uma imprevisível pergunta: Não se pode perguntar a mesma coisa a vários incompetentes presidentes? Basta analisar passados eventos para ver que os presidentes estão longe de chefiar com perfeição uma Nação! Questiono-me também se as pessoas têm capacidade para eleger a cara da sua própria Nação. Ou não serão elas endrominadas por ilusórias, atraentes campanhas que custam fortunas?
Não será antes melhor um soberano que representa a Nação internacionalmente, que seja a imagem do país. Não será melhor um soberano politicamente neutro. Livre de favoritismos e de pressões partidárias? Afinal é tudo isto que esperamos dum presidente. Não seria muito melhor entregue a um rei, todo este papel?
Depois os republicanos já assustados finalizam com o derradeiro (e repetitivo) argumento: Não há liberdade para escolher o governo e o representante da Nação. Eu, irritado com o falso argumento, respondo: Caros senhores, o povo pode (e deve) continuar a votar a quem bem lhe aprouver para governar a Nação. Pois na monarquia constitucional parlamentarista o governo é eleito pelo voto do povo e a constituição é que é a suprema lei (não o rei!).
Enquanto ao representante da Nação volto a referir o que já foi mencionado: Nada melhor que um patriota rei para representar o país!
Os raivosos cães não proferem mais nenhuma palavra. Eu viro-me para eles e, de olhos nos olhos, pergunto: A monarquia é um regime assim tão retrógrado e abominável como vocês dizem? Ou serei eu o endrominado aqui?




Clique aqui! Para veres o lado republicano de PR"

27 de setembro de 2010

No I'm Not Saying


"It was a thousand to one and a million to two
Time to go down in flame and I'm taking You
Closer to the Edge"

16 Dezembro, Lisboa.

EU VOU!

24 de setembro de 2010

Se


Ele bem que tenta…
Fica horas a fustigar a pobre cabeça, esfaqueando-a com inúmeros pensamentos. Ele fustiga-a todos os dias, como se até fosse fácil. Mas não o é! De todo! Pois ele também é esfaqueado. Esfaqueado pela dor e a tormenta que nunca o deixam em paz. Ele, cobarde como é, nada faz.
Por vezes ele, feito parvo, pensa que arranja a solução. Mas depressa a solução esfuma-se por entre os aguçados dedos do desespero que volta a reclamar o que era seu, ele. Ele, todos os dias, desiste e resigna-se à realidade. À cruel, difícil, e, acima de tudo, injusta realidade. Nada há mais a fazer, ou a dizer sobre ele.
Pois isto até teria a sua piada, se eu não fosse ele.

22 de setembro de 2010

E hoje nada sinto. Mesmo fazendo anos o meu espírito parece extinto...
16? Só agora? Chegaste rápido demais...

21 de setembro de 2010

Assim (des)espero

Procurei incessantemente,
sempre impaciente,
para que a resposta
não passasse de uma encosta,
perdida algures num deserto
cruel, quente, de futuro incerto.

Nada encontrei
e tanto que vasculhei!
Continuo naufragado
à espera de ser assassinado.
Morrer nas distantes areias?
Pois! Esgotara-se-me as ideias.

Faz-me falta a arte da sedução
para que possa sair desta solidão
que me dilacera todos os dias
sem dar tréguas a terríveis ironias.
E eu, louco, derramo lágrimas
sobre desnudadas páginas.

Assim espero.
Desespero.

20 de setembro de 2010

Sorrisos Enferrujados!

Caros leitores, a rubrica semanal "Sorrisos Enferrujados" está (ligeiramente) atrasada (a). Mas uma coisa prometo! Na próxima semana eu e a PR" vamos ter uma surpresa para vocês! Não percam o "Sorrisos Enferrujados" da próxima semana.


IMPORTANTE: A rubrica "Sorrisos Enferrujados" será publicada às segundas-feiras e não aos domingos, obrigado ;D

18 de setembro de 2010

Cenas que Marcam!

Chicago

As cenas de musicais (quando bem feitas) conseguem transmitir a essência de espectáculos da Broadway, esta cena transmite mesmo isso! Que grande cena de Marshall, no seu grande filme Chicago!

Aviso: As cenas postadas podem não ser percebidas por quem não viu o filme da respectiva cena.

16 de setembro de 2010

Os Melhores do Verão!

Acabou a votação! Os melhores filmes do verão foram encontrados!
[Há alguem tempo (a)]
Os grandes vencedores são:


Farei, agora, uma "7ª Arte" para cada um deles (O inception já tem, mas voltarei a publicar algo sobre o filme) Vou começar pelo 3º classificado. Espero que estejam atentos xP

P.s:Wow! Algo que seja da saga Twilight e não ganhe?

14 de setembro de 2010

Estação de Comboios

Cedo ele acordou. Olhou, ainda ensonado, o relógio e suspirou. Era o derradeiro dia…
Rapidamente se despachou e despediu-se do seu tímido apartamento mesmo na solarenga baixa da melancólica cidade de Lisboa.
Saiu de malas na mão e dirigiu-se para a estação de metro mais próxima. Hesitante, parou em frente à incessante estação que teimava em não sossegar. O medo e o receio trespassaram-lhe a alma mas, depois de um longo bocejo, lá avançou para o novo começo.
O metro, rapidamente, levou-o para a estação de comboios que também se encontrava apinhada de pessoas loucas que nem sabiam para onde se virar. Arrastou as suas pesadas malas pela estação fora, tentando desviar as pessoas que insistiam em não o deixar passar. Quando se aproxima do comboio já lotado chocou com uma rapariga de longos cabelos castanhos, de olhos de avelã. Ele petrificou por uma fracção de segundos. Voltou ao normal e, prontamente, ajuda aquela rapariga que praguejava contra o súbito desconhecido, mas quando reparou nele apenas sorriu, acanhadamente, e ele devolveu-lhe o sorriso. Fitaram-se, fascinados, por longos minutos. Aproximaram-se e, suavemente, tocaram nos lábios um do outro. Ambos ficaram dispersos do que os rodeava e nada mais queriam saber. Apenas se beijavam. O beijo foi interrompido pelo súbito ruído do comboio a partir. Eles, ainda atordoados, gritaram em uníssono. Ambos perderam o comboio.


11 de setembro de 2010

Cenas que Marcam!

Wall-E


Aviso: As cenas postadas podem não ser percebidas por quem não viu o filme da respectiva cena.

8 de setembro de 2010

Ele disse


Ele disse…

Pára! Pára de me olhar,
como se me quisesses matar.
Pára de me despedaçar,
como se fosse fácil torturar.

Pára de fingir,
o que sabes não sentir.
Pára de me ferir,
pois eu não cheguei a consentir.

Apenas… Deixa-me vaguear,
à procura de um novo lugar.
Deixa-me aportar,
para um novo sítio habitar.

Por favor pára!
Disse ele.

7 de setembro de 2010

Voltei!

Voltei do acampamento com os meus amigos.
Foi óptimo! Aconselho vivamente a toda a gente ir acampar à Ericeira! É fantástico.

Ps: Que vergonha! Acabamos de ser humilhados em Oslo ao perder contre a Noruega (uma equipa com que Portugal nunca perdera). Onde anda a nossa selecção de outrora?

3 de setembro de 2010

Technologic

Uma parvoeira de vídeo xD
Com a Josephine de Warm Rain e com a Anne de Um Par de Peúgas.

Espero que gostem ;D

2 de setembro de 2010

Mas que se passa?


Isto anda tudo numa fase estranha! Não consigo dormir como deve de ser, sonho com tudo e mais alguma coisa e quando acordo não me lembro de nada. Os dias passam a correr e ando meio alucinado com a velocidade dos mesmos. Não recebo muito feedback de vocês meus leitores, o blog está mais morto que sempre e não me tem motivado! Acho que estou a precisar de uma férias do blog, da minha casa, da minha vida e de mim! Principalmente de mim!

1 de setembro de 2010

O Frio Mar da Ericeira

Apenas quando a fria água salgada do agitado mar trespassa os meus pés é que me sinto, verdadeiramente, bem. O som das grandes ondas a desmoronarem-se em espuma, o bater da água nas fustigadas rochas, o cheiro suave da brisa marítima, tudo isto me dá uma efémera alegria e um fascínio enorme. O que me faz pensar… Pensar em nada, porque não tenho nada em que pensar, pois ainda me falta encontrar algo. A mim. Não sei o que sou, quem sou, o que ando aqui a fazer, de quem gosto e de quem odeio. Apenas sei que gosto do mar a fustigar as minhas pernas, gosto de sentir a agua a molhar-me, gosto dos salgados salpicos a refrescarem-me a cara. Apenas sei… Que no mar posso confiar, sem ter que ver um cruel olhar repugnante em contrapartida.



Por vezes apetece-me gritar ao mundo.